Medo de Mudança

O medo da mudança pode nos impedir de enfrentar os problemas de nossa vida e nos fazer estagnar em nossa recuperação. Lá no fundo, sabemos que a mudança é inevitável. No entanto, uma vez que já temos de nos adaptar a tantas mudanças sobre as quais não temos controle — envelhecimento, perda do emprego, enchentes, incêndios, acidentes de carro, crises médicas —, nós nos iludimos, acreditando que as coisas vão ficar bem se tão-somente permanecerem como estão. 

Por causa do sucesso de livros de autoajuda sobre inúmeros temas, parece que muitos de nós realmente querem mudar os padrões de comportamento. Mas, depois de ler os livros, muitas vezes questionamos a nós mesmos. Como nossos relacionamentos serão alterados se mudarmos? Ficaremos à vontade com nossa nova identidade?

Leia mais

Pequenas crises 

Uma equipe de voluntários da igreja estava sediando uma reunião com várias outras igrejas na cidade. Uma vez que a reunião incluía um bufê no café da manhã, alguns dos móveis do pequeno salão tiveram de ser reorganizados. 

Quando o pastor sênior da igreja viu a nova configuração, chamou os voluntários e afirmou que o espaço precisava voltar à disposição original imediatamente. De modo frenético, ele apontou para as marcas no tapete e instruiu que as mesas e cadeiras fossem colocadas novamente naqueles mesmos lugares. 

O pastor não pôde aceitar a mudança no ambiente. Para ele, tudo na sala precisava ficar exatamente como estava. Notando o desconforto do pastor, a equipe começou a discutir um novo plano para o bufê do café da manhã enquanto colocava os móveis de volta em seus lugares. O pastor agachou no chão para supervisionar a mudança, dando instruções para assegurar que os pés dos móveis fossem colocados em cima das marcas do tapete.

Por quê resistimos à mudança?

A maioria de nós tem medo de mudança, e nós, às vezes, deixamos que esse medo nos faça estagnar em nossa jornada de recuperação. Quando começamos a ter medo da mudança, precisamos voltar ao Princípio 5: “Peço, humildemente, que Deus remova meus defeitos de caráter e, voluntariamente, me submeto a cada mudança que ele queira fazer em minha vida.” Isso nos ajuda a entender que existem três razões principais porque resistimos à mudança. 

 

  1. Podemos ser paralisados pelo medo do fracasso. Mas cair não nos torna um fracasso; permanecer caído, sim. Este é o lugar onde nossa fé e confiança em Jesus Cristo entram em ação. Em Filipenses 4.19, Paulo nos assegura:“E o meu Deus, de acordo com as gloriosas riquezas que ele tem para oferecer por meio de Cristo Jesus, lhes dará tudo o que vocês precisam.”

 

  1. Podemos temer a intimidade por causa do medo de rejeição ou de sermos feridos novamente. É por isso que é tão importante irmos devagar em um novo relacionamento, dedicando um tempo para buscar a vontade de Deus, desenvolver expectativas realistas e estabelecer limites adequados. Nós nos apegamos firmemente ao Salmo 118.6:“O Senhorestá comigo, e eu não tenho medo; que mal pode alguém me fazer?” 

 

  1. Podemos resistir à mudança (crescimento) por causa do medo do desconhecido. Podemos pensar: “Minha vida está uma bagunça, meus relacionamentos estão confusos, mas, pelo menos, eu sei o que esperar: uma bagunça!” O desconhecido pode ser assustador se estivermos tentando enfrentá-lo sozinhos. É por isso que precisamos confiar em Cristo e na equipe de pessoas a quem devemos prestar contas. Deus nos diz em Isaías 41.10:“Não fiquem com medo, pois estou com vocês; não se apavorem, pois eu sou o seu Deus. Eu lhes dou forças e os ajudo; eu os protejo com a minha forte mão.”

A melhor transformação

Se nos encontramos “estagnados” em nossa recuperação, pode ser que estejamos resistindo a uma mudança que Deus deseja que façamos. É somente por meio desta mudança que o crescimento pode ocorrer. É somente por meio da mudança que nossa recuperação pode acontecer. É somente por meio da mudança que podemos ficar livres de nossas feridas, enroscos e hábitos. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *