Setembro Amarelo Alma abatida

Por que você está abatida, ó minha alma?

“Por que você está abatida, ó minha alma? Por que se perturba dentro de mim? Espere em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu.”

Salmo 42.5

Uma grande campanha está sendo divulgada neste mês, nomeada de “Setembro Amarelo”.  Seu objetivo é conscientizar sobre a prevenção ao suicídio. A depressão é uma das principais causas do suicídio. Este é um ato desesperado cometido pela pessoa na tentativa de se livrar da dor, do sofrimento, que de tão imenso, parece insuportável. Segundo a Organização Mundial de Saúde, nove entre dez mortes por suicídio poderiam ter sido evitadas.

Por isso, nós precisamos falar sobre esse assunto.

Você sabia que a Bíblia conta histórias de pessoas que também passaram por momentos de dor intensa? Leia o texto que separamos para você e conheça a história de pessoas que também foram invadidas pelo sofrimento.

Depressão

“Por que você está abatida, ó minha alma?
Por que se perturba dentro de mim?”
(Salmo 42.5).

Depressão é um quadro clínico complexo, em que se destaca principalmente uma queda acentuada de humor e perda de energia ou prazer nas tarefas habituais. É um conjunto de sofrimentos — sintomas — que se caracteriza por tristeza ou irritação, perda da vontade de fazer coisas ou até de viver. Pode vir acompanhado de desânimo, mesmo para as atividades prazerosas, perda ou ganho de peso, dificuldade para dormir (ou necessidade exagerada de sono), sensação de agitação ou de lentificação, fadiga ou falta de energia, sentimento de culpa excessiva, dificuldade para se concentrar e tomar decisões, bem como pensamentos repetidos sobre a morte. Na depressão, este conjunto de sofrimentos — ou parte dele — está presente na maior parte do dia, em quase todos os dias.

Mas não devemos confundi-la com a tristeza que acompanha situações de luto ou grandes frustrações e perdas pessoais. Esta é natural e esperada, e depois de um período de readaptação ela é superada e não ganha a dimensão de uma depressão. O fato de ultimamente haver um aumento dos casos de depressão, para muitos estudiosos, não é coincidência: isso está relacionado ao mal-estar da sociedade atual, especialmente à desconsideração dos ritmos necessários para uma vida com qualidade. Por isso é preciso compreender as causas da depressão nas várias dimensões da vida humana, incluindo aspectos biológicos, psicológicos, espirituais, filosóficos e também sociais e econômicos.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, a depressão é um problema de saúde pública e poderá ser o maior mal do século 21. Em 2001, 30% da população mundial já sofria desta doença, mesmo sem saber. As consequências da depressão são desastrosas em diferentes áreas:

  • Na família: desagregação, incapacitação para as relações familiares e para o cuidado com os demais membros;
  • Na esfera do trabalho: diminuição da capacidade produtiva e aumento de faltas;
  • Nos serviços de saúde: aumento da procura por atendimento e dos gastos com medicamentos e hospitalização.

Está incorreto dizer que um cristão não sofre de depressão, ou que basta ter fé para vencê-la. Da mesma forma, a presença da depressão não significa falta de fé. Todos estamos sujeitos a adoecer, tanto física quanto emocionalmente — podemos sofrer, por exemplo, de pressão alta, diabetes ou asma, sem que tenha nos faltado a fé. Ao mesmo tempo, é verdade que a espiritualidade é um recurso importante para ajudar a vencer o desânimo, e um relacionamento pessoal com Deus pode ajudar muito para que a pessoa deprimida se sinta acompanhada, inclusive durante um tratamento, quando for o caso. Mas também é verdade que uma imagem de Deus excessivamente severa pode adoecer em vez de ajudar na melhora.

A Bíblia também apresenta pessoas com sofrimentos parecidos com o que hoje chamamos de depressão. Elias (um “homem semelhante a nós, sujeito aos mesmos sentimentos”, Tiago 5.17) mostra seu desânimo ao fugir de Jezabel (1Reis 19.1-8). Noemi foi uma mulher que experimentou profunda amargura por suas perdas (Rute 1.20-21). Vários Salmos também expressam esse sofrimento e a busca de consolo junto a Deus. Alguns estudiosos identificam ainda uma relação com a raiva, na qual a depressão estaria relacionada com “engolir a própria raiva”, sem tratar dela com outras pessoas ou com Deus.

A Bíblia sugere que a criação de filhos conduzida com raiva pode produzir esse estado de desânimo. Sabemos que Deus pode usar pessoas — muitas vezes com preparo profissional — e também medicamentos para o tratamento e a cura desta doença, e que um recurso não exclui os outros. Portanto, não deixe de procurar ajuda qualificada, se sentir necessidade, se perceber que esse sofrimento está lhe retirando toda vontade de viver.

O texto desta reflexão foi extraído da Bíblia de Estudo Conselheira,
publicada pela Sociedade Bíblica do Brasil.

Também recomendamos…

Plano de leitura: Razões para não desistir

Há momentos em que nada parece ter sentido ou valor, em que uma tristeza profunda invade a alma e o desejo é desistir. Se você sente que as dores sufocaram suas esperanças, as palavras neste Plano de Leitura são para você. E se você não sente assim, mas conhece alguém que precisa de ajuda, então se inspire na Palavra de Deus. Viva e compartilhe a verdadeira razão para não desistir.

Você pode fazer parte desta história!
Doe para a Causa da Bíblia e nos ajude a alcançar mais pessoas!

3 comments

  1. Luana Ribeiro

    Além dos exemplos bíblicos dados, temos também Moisés que desejou a morte por não suportar a dor do seu encargo (Nm 11. 11-15). Jeremias chegou a dizer em uma de suas orações que Deus o havia enganado quanto ao seu ministério, uma vez que sofria de zombaria e escárnio ao entregar a mensagem profética (Jr 20.7-18). Detalhe, ele chegou a amaldiçoar o dia do seu nascimento! Davi, no Salmo 109, disse que estava emagrecendo de tanto jejuar por livramento divino diante das constantes perseguições. O apóstolo Paulo enunciou seus embates durante as viagens missionárias: “lutas por fora, temores por dentro” (2 Co 7.5). Em outro momento ele disse: “Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados. Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos” (2 Co 4.8,9).
    Enfim, a Bíblia, melhor do que ninguém, sabe bem o quanto sofre a alma humana.

  2. Rosemary

    Sei bem o que é sofrimento. Minha filhinha faleceu há três anos atrás. Passou mal, vomitou, foi internada. O diagnóstico: Câncer nas vias biliares em estágio terminal. Em 42 dias ela se foi. Partiu para a eternidade.
    Mas se eu sei o que é sofrimento, tb sei o que é o amor do Senhor. Não enlouqueci ou morri única e exclusivamente por causa do amor Dele. A boa mão do Senhor me sustentou no momento mais difícil da minha vida. Eu glorifico a Deus todos os dias. Por ter me salvado, por ter salvado a minha filha , por me dar a certeza que vou reencontrá-la no Paraíso. E por ter me carregado no colo nas noites mais escuras da minha vida.

  3. Manoel Marcos Matias

    Eu sei o quanto é doloroso se srntir sem viñtade de nada. Como a síndrome amotivacional, causada por uso de entorpecentes evolui à depressão.
    Jó também se sentiu assim, até amaldiçoou o dia do seu nascimento.
    Estou a dois anos lutando contra a dependência química e busco, todos os dias, força na Palavra.
    Também preciso de medicação, pois Deus permitiu ao homem sabedoria para ajudar ao próximo, e isso se deu também na medicina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *